Como libertar-se da Culpa e Auto-Sabotagem

escada

A culpa é um sentimento que sugere a falta de merecimento, o não permitir-se fluir, viver e desfrutar as boas coisas da vida. Se fizemos algo que consideramos errado, seja numa fase passada ou recente de nossa existência, este fato pode nos prender à padrões de auto-sabotagem e destruição que nos leva a viver uma vida opaca, sem brilho, enclausurados em sofrimentos e punições que muitas vezes são insuportáveis para nós e para os que nos rodeiam, estado interno, onde muitos acabam por sucumbir.

Todo nós já experienciamos situações, onde tudo estava indo bem, até que um pequeno detalhe, uma pequena ocorrência, acaba por destruir toda esperança e positividade, lançando-nos num turbilhão de problemas e conflitos, muitas vezes torturantes e intermináveis, que nos aniquilam interiormente, fazendo-nos confirmar que não somos dignos ou merecedores do bem que tanto almejávamos.

A lógica básica da culpa é: se sou culpado, preciso ser punido, e somos muito criativos e cruéis em nossas auto punições, somos na verdade o nosso pior carrasco.  Quanto sofrimento imposto, quantas possibilidades não realizadas, quantos anos de nossa vida gastos neste aprisionamento e falta de fluidez, que nos deprime a alma e nos faz muitas vezes pensar no suicídio.

É importante sabermos então de onde vem toda esta negação, toda esta capacidade de aniquilar as nossas próprias vidas. Todo ser humano é formado pelo Eu Inferior (ou a criança egoísta inconsciente, com toda a sua ignorância, destrutividade e todos os seus protestos de onipotência), o Ego Consciente (com todo o conhecimento e vontade conscientes) e o Eu Universal ou Superior (com sua sabedoria, seu poder e amor superiores, bem como sua compreensão abrangente da vida humana)

Para que possamos nos libertar destas situações negativas e deixarmos nossa vida fluir livremente, em todos os âmbitos, ou seja, da saúde, do bem estar, do equilíbrio, da prosperidade, do amor, da realização, dos relacionamentos, da profissão, é importante entrarmos em contato com nossa criança interna destrutiva, que desde cedo foi a responsável por criar concepções errôneas sobre nós e os outros, gerando ódios, rancores, maldade e qualquer sentimento negativo que nos invade atualmente.

Porém, este contato deve ser executado em conjunto com o nosso Ego Consciente, que nos provê a vontade de mudarmos, que sabe que não podemos continuar nestes mesmos padrões destrutivos, e com o Eu Superior, que é nossa essência divina, que é quem nos fornecerá as orientações e a força suficiente para conseguirmos encarar toda esta destrutividade, sem sucumbirmos internamente, achando que somos por fim, toda esta negatividade que vemos em nosso ser.

O Ego consciente, precisa ser receptivo e não julgar a nossa Criança destrutiva e onipotente, com todos os seus traumas, fúrias e distorções, pois, a medida que formos deixando-a se expressar seguramente, sem porém, nos identificarmos com ela, seremos capazes de identificar o que nos faz infelizes e teremos a oportunidade de reconstruirmos nossa vida, de forma sólida e digna, e desta maneira, usufruirmos todas as boas coisas que estão destinadas à nós, desde o princípio.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: