Por que a surpresa Brasil?

bandeira-rasgada-3

Beautiful woman with hands on face and red nails

Por que estamos todos tão surpresos com o que está acontecendo com a nossa política? Achamos descabido, uma mulher, no cargo supremo da nação, acobertar as falhas e abusos de seu amigo e protetor, colocando a sua própria integridade em jogo, bradamos raivosos contra este senhor grisalho, de barba branca, que não possui o dedo mínimo, irritados com tudo que ele amealhou por vias escusas e que insiste em nos ludibriar, com palavras habilidosas e táticas manipuladoras, nos sentimos injustiçados e pouco respeitados em nossa dignidade como cidadãos, como brasileiros, por estarmos sendo subjugados por este festival de falta de caratismo e ética, lá, na capital do nosso país, porém, meus amigos(as), quantos de nós não agimos da mesma forma, sem caráter e sem ética, em nossas próprias vidas, explorando, sugando, enganando, mentindo, burlando, nos aproveitando, encobrindo um erro aqui, provocando outro ali, favorecendo os mais próximos e ignorando abertamente o coletivo?

O que vivenciamos lá fora, é o que cultivamos aqui dentro de nós, não há a mínima diferença. Esse casal representa perfeitamente como somos interiormente: mesquinhos, egoístas, falsos, covardes, preguiçosos, interesseiros, confusos, manipuladores, arrogantes, gananciosos, mentirosos, exibicionistas, invejosos, vazios, raivosos, obtusos, medíocres, predadores, competitivos, pouco sérios, pouco inteligentes, pouco amorosos, sem visão ampla.

A saída não é irmos às ruas protestar, brigar, xingar, para depois, postarmos nas redes sociais, preocupados com caras e bocas, e continuarmos agindo com a mesma obtusidade diária. Não, a única saída é olharmos para dentro de nós mesmos, e primeiro, reconhecermos às nossas distorções, às nossas fraquezas morais e éticas, a nossa total falta de consciência, a nossa total baixeza como seres humanos pouco evoluídos.

Quem já passou por um processo terapêutico sabe que o primeiro passo para a cura é reconhecermos o problema em nós mesmos, é, mesmo nos sentindo incomodados com o impacto de nos observamos com comportamentos que julgávamos ser inapropriados, mesmo assim, sermos fortes o suficiente para entrarmos em contato com aquele nosso eu tão pouco ideal, e a partir daí, podermos modificar o que não nos interessa mais, porque, enquanto projetarmos no exterior os nossos próprios problemas, estaremos contribuindo fortemente para que outros casais, outros engravatados e engravatadas, assumam o comando de nossas vidas, uma vez que ainda somos tão incompetentes em administrarmos a nossa própria existência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: