Como resolver a pobreza? Ensinando a Empreender, diz o banqueiro dos pobres

Dinheiro não é ruim, mas, quando endeusado ele se torna perigoso.

Consumir é importante, mas, quando o objetivo da vida se torna apenas isso, cuidado.

Muita gente acha que dar uma esmola ao pobre faz bem, pode ser bom para aliviar a sua culpa, mas, na verdade desta forma só estamos camuflando a miséria. Então qual a solução?

Ensinar a empreender.

Ou como diz o velho ditado: é melhor ensinar a pescar do que dar o peixe.

Essa é a dica que o banqueiro indiano Muhammad Yunus, conhecido vulgarmente como banqueiro dos pobres nos dá.

Além de nos dizer que não nascemos para sermos empregados, e sim donos do nosso próprio nariz.

Que o Sistema Capitalista não é de todo mal, mas, estruturado que está na maximização do lucro a todo custo, acaba se tornando um sistema perverso.

Está na hora de criarmos uma nova lógica para este sistema, por que manter as pessoas escravizadas por dívidas, presas a trabalhos massacrantes, tendo que seguir ordens de um superior muitas vezes medíocre, usando a sua total falta de conhecimento financeiro para ludibriar e enganar, visando ganhos cada vez maiores, não parece estar correto e tem gerado muito sofrimento e desequilíbrio.

Bem, alguma razão ele deve ter, uma vez que o seu banco Gramenn Bank, está em vários países do mundo e ele só ganhou o Nobel da Paz. Se ficou curioso(a) leia abaixo a reportagem que a revista Trip fez:


O economista Muhammad Yunus é conhecido no mundo todo como “o banqueiro dos pobres”. Por meio do Grameen Bank, que ele fundou em 1983 em Bangladesh, Yunus espalhou em escala internacional o conceito do microcrédito: empréstimos feitos, sem garantias ou papéis, a gente pobre que nunca antes teve acesso ao sistema bancário. Tal fomento ao empreendedorismo, sobretudo entre mulheres, e seus resultados efetivos lhe renderam, entre outros prêmios, o Nobel da Paz em 2006. Também transformaram Yunus em um dos oradores mais requisitados do planeta, inclusive em eventos lotados de empresários e banqueiros que ele critica sem censura.

Muhammad Yunus em retrato feito durante sua passagem por São Paulo, em maio

Muhammad Yunus em retrato feito durante sua passagem por São Paulo, em maioCrédito: Ludovic Carème

Yunus em 1976, quando começou as ações que deram forma ao Grameen Bank

Yunus em 1976, quando começou as ações que deram forma ao Grameen BankCrédito: Arquivo pessoal

Com mulheres de Bangladesh, nos anos 1980. Foi para artesãs que ele concedeu os primeiros empréstimos, no valor de US$ 27

Com mulheres de Bangladesh, nos anos 1980. Foi para artesãs que ele concedeu os primeiros empréstimos, no valor de US$ 27Crédito: Arquivo Pessoal

Yunus durante uma palestra do Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, em 2010

Yunus durante uma palestra do Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, em 2010Crédito: Divulgação

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: