Arquivo para depressão

Como libertar-se da Culpa e Auto-Sabotagem

Posted in Como libertar-se da culpa e auto-sabotagem with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on abril 17, 2014 by carl1ike

escada

A culpa é um sentimento que sugere a falta de merecimento, o não permitir-se fluir, viver e desfrutar as boas coisas da vida. Se fizemos algo que consideramos errado, seja numa fase passada ou recente de nossa existência, este fato pode nos prender à padrões de auto-sabotagem e destruição que nos leva a viver uma vida opaca, sem brilho, enclausurados em sofrimentos e punições que muitas vezes são insuportáveis para nós e para os que nos rodeiam, estado interno, onde muitos acabam por sucumbir.

Todo nós já experienciamos situações, onde tudo estava indo bem, até que um pequeno detalhe, uma pequena ocorrência, acaba por destruir toda esperança e positividade, lançando-nos num turbilhão de problemas e conflitos, muitas vezes torturantes e intermináveis, que nos aniquilam interiormente, fazendo-nos confirmar que não somos dignos ou merecedores do bem que tanto almejávamos.

A lógica básica da culpa é: se sou culpado, preciso ser punido, e somos muito criativos e cruéis em nossas auto punições, somos na verdade o nosso pior carrasco.  Quanto sofrimento imposto, quantas possibilidades não realizadas, quantos anos de nossa vida gastos neste aprisionamento e falta de fluidez, que nos deprime a alma e nos faz muitas vezes pensar no suicídio.

É importante sabermos então de onde vem toda esta negação, toda esta capacidade de aniquilar as nossas próprias vidas. Todo ser humano é formado pelo Eu Inferior (ou a criança egoísta inconsciente, com toda a sua ignorância, destrutividade e todos os seus protestos de onipotência), o Ego Consciente (com todo o conhecimento e vontade conscientes) e o Eu Universal ou Superior (com sua sabedoria, seu poder e amor superiores, bem como sua compreensão abrangente da vida humana)

Para que possamos nos libertar destas situações negativas e deixarmos nossa vida fluir livremente, em todos os âmbitos, ou seja, da saúde, do bem estar, do equilíbrio, da prosperidade, do amor, da realização, dos relacionamentos, da profissão, é importante entrarmos em contato com nossa criança interna destrutiva, que desde cedo foi a responsável por criar concepções errôneas sobre nós e os outros, gerando ódios, rancores, maldade e qualquer sentimento negativo que nos invade atualmente.

Porém, este contato deve ser executado em conjunto com o nosso Ego Consciente, que nos provê a vontade de mudarmos, que sabe que não podemos continuar nestes mesmos padrões destrutivos, e com o Eu Superior, que é nossa essência divina, que é quem nos fornecerá as orientações e a força suficiente para conseguirmos encarar toda esta destrutividade, sem sucumbirmos internamente, achando que somos por fim, toda esta negatividade que vemos em nosso ser.

O Ego consciente, precisa ser receptivo e não julgar a nossa Criança destrutiva e onipotente, com todos os seus traumas, fúrias e distorções, pois, a medida que formos deixando-a se expressar seguramente, sem porém, nos identificarmos com ela, seremos capazes de identificar o que nos faz infelizes e teremos a oportunidade de reconstruirmos nossa vida, de forma sólida e digna, e desta maneira, usufruirmos todas as boas coisas que estão destinadas à nós, desde o princípio.

 

Coca Zero – A Publicidade, como ela deveria ser!

Posted in Coca Zero - A Publicidade como ela deveria ser with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on dezembro 23, 2012 by carl1ike

coca4Quanto mais:

Depressão, ansiedade,              pensamentos negativos,  insônia, câncer, irritabilidade, confusão mental

 Melhor!

cavera laranjaAgora, com mais fenilalanina, mais cliclamato e aspartame!

Totalmente proibida na Europa e nos EUA,

Liberada apenas p/países de terceiro mundo, onde o consumidor é mais passivo, ignorante e menos informado, como você

Experimente!

“Para quem bebe ou para quem tem amigos que bebam.

Coca cola zero proibida nos EUA e primeiro mundo

Dr. Edgardo Derman, médico em San Juan, Argentina, a respeito de sua pesquisa sobre o refrigerante Coca-Cola Zero:
Para não incorrermos em divulgar notícia infundada, pesquisamos o site do Federal Drugs Administration, o mais respeitado órgão de controle de drogas e alimentos daquele país, cujas publicações merecem o crédito de toda a comunidade científica internacional.

“Faço minha contribuição a este interessantissimo artigo: Na década de setenta apareceu uma bebida que foi muito popular em seu momento. A casualidade é que a mesma era produzida também pela Coca-Cola e se chamava TAB, obtendo grande êxito já que era dietética. Nesta época, meu irmão, um engenheiro químico, estava fazendo uma Pós-Graduação na Espanha em Produtos Alimentícios e nos chamou atenção para não consumirmos esta bebida pois a mesma continha “Ciclamato”, um agente químico que reconhecidamente fazia mal à saúde.

DESDE ESSA ÉPOCA SE SABE QUE NÃO SE PODE USAR O CICLAMATO PARA CONSUMO HUMANO!

O Ciclamato, apesar dos alertas, continuou a ser usado em muitos produtos dietéticos, notadamente nos países em desenvolvimento ou não desenvolvidos.
Quando forem a um supermercado ou mercearia basta conferir os ingredientes para ver se apresenta esta nociva substância nas composições destes produtos. Agora prestem atenção: por que a Coca-Cola Zero, que contém Ciclamato, foi proibida nos Estados Unidos?

Conheça as razões do porquê. E mais uma questão: o que se passa na América Latina, onde este produto ainda não foi retirado do mercado? Fiquem de olho nesta bebida, afinal, o que você sabe da Coca-Cola Zero?

Depois de uma massiva propaganda do novo produto Coca-Cola Zero, começaram a aparecer na comunidade científica, artigos médicos sobre os malefícios do Ciclamato.
De outra forma, os consumidores começaram a questionar por que a Coca-Cola lançava um produto que viria concorrer com outro produto seu da mesma linhagem, a Coca-Cola Light. Afinal, as duas não prometiam a inexistência de açúcar em suas composições? Se ambas não contém açúcar, o que as diferenciava?

As respostas para estas questões estão a mostra num atento exame dos componentes de tais refrigerantes: a Coca Cola LIGHT possui: Acesulfame K (16mg/%) e Aspartame (24mg/%), num total de 40mg/100ml de bebida, de edulcorantes. Já a Coca Cola ZERO tem em sua formulação Ciclamato de Sódio (27mg%), Acesulfame K (15mg%) e Aspartame (12 mg%), tornando-a mais doce que a outra – um total 54mg/100ml de bebida).

Tendo em conta que o edulcorante «Ciclamato de Sodio» está terminantemente proibido pelo F.D.A (Federal Drugs Administration) – (Organismo máximo de controle de alimentos e drogas dos EEUU da América) por comprovados efeitos na gênese de tumores cancerígenos, e mais, que o Ciclamato é muito mais barato que o Aspartame (a razão de 10 dólares por quilo do Ciclamato contra 152 dólares/kg do Aspartame, vem a pergunta: Que Coca-Cola você passará a tomar?

Nota da Redação: Parece fácil a resposta, ainda mais considerando-se que o Ciclamato de Sódio é cancerígeno, não? Entretanto, o que se vê é um contínuo incremento no consumo da Coca Zero em contraste a um decréscimo no consumo da Light. Especialmente nos países em que a Coca Zero não foi ainda tirada do mercado. O que faz isto? A massificação da propaganda da Coca Zero, contra praticamente nenhuma da Coca Light. Assim, somos induzido a ingerir um produto que, proibido em outros centros por conter um agente cancerígeno, ainda está a disposição em nossos mercados.

ANEXOS

Como é meu costume investigar pela Internet – não creio em verdades absolutas – entrei no site do FDA e… SURPRESA!
Lá, encontrei uma lista de aditivos e alimentos considerados seguros para a saúde humana, chamada, Generally Recognized as Safe (GRAS). Pois bem! Efetivamente o Ciclamato de Sódio aparece nesta lista com uma observação em inglês: Sodium cyclamate – NNS , ILL – Removed from GRAS – list 10-21-69 – 189. Ou seja, o Ciclamato de Sódio foi retirado da lista de aditivos e alimentos seguros. Confira em http://www.cfsan.fda…s/opa-appa.html

Continuei minha busca e encontrei através do site do FDA um “link” para uma outra lista com a sigla EAFUS (Everything Added to Food in the United States). Traduzindo: Todos os Aditivos de alimentos nos Estados Unidos. Lá, está claramente a proibição ao Ciclamato de Sódio: SODIUM CYCLAMATE-PROHIBITED. Quer a fonte? Consulte: http://www.cfsan.fda…~dms/eafus.html

Finalmente, deparei-me com outra lista de substâncias proibidas em alimentos para consumo humano. E lá estava: PART 189–SUBSTANCES PROHIBITED FROM USE IN HUMAN FOOD. 189.135 Cyclamate and its derivatives. Fonte: http://www.access.gp…1cfr189_03.html

Por que a Coca-Cola Zero é vendida nos Estados Unidos se a FDA proibiu o uso de Ciclamato de Sódio para consumo humano? A resposta é simples: A COCA-COLA ZERO vendida nos Estados Unidos, no Canadá, no Reino Unido e na maioria dos países europeus NÃO CONTÉM Ciclamato de Sódio. Isto só acontece nos países pobres ou subdesenvolvidos como os da Europa Oriental e América Latina.
Quando no ano passado se tirou do mercado a Coca-Cola Zero no México criou-se uma grande polêmica porque ela continha Ciclamato e tiveram que trocá-la. A Coca Cola nunca aceitou dizer que ela havia sido tirada do mercado por causa do Ciclamato. Ao invés disto disse que a mesma foi retirada do mercado para “melhorar seu sabor”. É frustrante e indigno o que estes países fazem com os países do dito 3º Mundo. Não lhes interessa a saúde do consumidor (que em sua ignorância crêem estar usando produtos dietéticos seguros). Interessa-lhes, apenas, o lucro, o dinheiro.
Por incrível que pareça em minhas investigações a COCA-COLA ZERO que se vende na Espanha também possui esta coisa, o Ciclamato. Porém, está cada vez mais rara sua venda. A que vendem na Alemanha também contém esta droga.

POR FAVOR, CONTRIBUA COM UMA CAUSA JUSTA, REENVIE ESTE MENSAGEM.

Dr. Edgardo Derman MAAC
LU3PCJ – San Juan – ARGENTINA

Pra quem quiser ver os ingredientes da coca-cola zero vendida no Brasil: http://www.cocacolab…mp;conteudo=127

texto extraído do site: http://www.hipertrofia.org/forum/topic/12243-coca-cola-zero-proibida-nos-eua-e-primeiro-mundo-por-dr-edgardo-derman-maac/

Os 12 Sintomas

Posted in Os 12 Sintomas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on novembro 22, 2012 by carl1ike

Os Doze Sinais do Seu Despertar Divino

Tem muita gente sentindo-se estranha ultimamente, talvez aqui estejam as explicações:

De Geoffrey Hoppe e Tobias

1- Dores no corpo e sofrimentos, especialmente no pescoço, ombros e costas. Isto é o resultado de intensas mudanças no seu nível de DNA, enquanto a “semente Crística” é despertada interiormente. Isto também passará.

2- Sentimento de profunda tristeza interna sem aparente razão. Você está soltando seu passado (dessa vida e de outras) e isto causa o sentimento de tristeza. Isto é semelhante a mudar-se de uma casa na qual você viveu por muitos, muitos anos para uma nova casa. Por muito que você queira mudar-se para uma nova casa, existe uma tristeza por deixar as memórias para trás, energias e experiências da velha casa. Isto também passará.

3- Chorar sem razão aparente. Semelhante ao item 2 acima. É bom e saudável deixar as lágrimas fluírem. Isto ajuda a soltar a velha energia interna. Isto também passará.

4- Repentina mudança no trabalho ou carreira. Um sintoma muito comum. Como você muda, coisas a sua volta igualmante mudarão. Não se preocupe em achar o emprego “perfeito” ou carreira agora. Isto também passará. Você está em transição e poderá fazer várias mudanças de empregos até se estabelecer em algum que caiba sua paixão.

5- Afastar-se das conexões familiares. Você está conectado com sua família biológica via velho carma. Quando você sai do ciclo cármico, os vínculos das antigas conexões são soltos. Vai parecer que você está afastando-se de sua família e amigos. Isto também passará. Depois de um período de tempo, você pode desenvolver uma nova conexão com eles, se isso for apropriado. Porém, a conexão será baseada na nova energia sem elos cármicos.

6- Padrões de sono pouco comuns. É provável, que você acorde muitas noites entre duas e quatro horas da manhã. Há muito trabalho sendo feito em você, e isso muitas vezes faz você acordar para dar uma respirada” . Não se preocupe. Se você não puder voltar a dormir, levante-se e faça alguma coisa. É melhor do que deitar na cama e preocupar-se com coisas humanas. Isto também passará.

7- Sonhos intensos. Nestes podem ser incluídos sonhos de guerra e batalhas, sonhos de caçadas e sonhos com monstros. Você está literalmente soltando a velha energia interna, e estas energias do passado são muitas vezes simbolizadas como guerras, corridas para escapar e o “bicho papão”. Isto também passará.

8- Desorientação física. Em tempos você sentirá muito sem chão. Você estará “mudando espacialmente” com a sensação de que você não pode por os dois pés no chão, ou que você está andando entre dois mundos. Conforme sua consciência muda para a nova energia , seu corpo algumas vezes “atrasa-se” e “fica para trás”, isto é, ele não acompanha. Gaste mais tempo na natureza para ajudar a aterrar a nova energia interior. Isto também
passará.

9- Aumento da “conversa consigo mesmo”. Você encontrar-se-á conversando com seu “Eu” mais freqüentemente. Você de repente perceberá que esteve batendo papo com você mesmo pelos últimos 30 minutos. Existe um novo nível de comunicação tomando lugar dentro do seu ser, e você está experimentando a “ponta do iceberg” com a “conversa consigo mesmo”. As conversas aumentarão, e se tornarão mais fluídas, mais coerentes e com mais visões interiores. Você não está ficando maluco. Você é apenas Shaumbra movendo-se para a nova energia.

10- Sentimentos de solidão, mesmo quando em companhia de outros.Você pode sentir-se sozinho e longe dos outros. Você pode sentir desejo de evitar grupos e multidão. Como Shaumbra, você está percorrendo um caminho sagrado e solitário.Tanto quanto os sentimentos de solidão causem ansiedade, é difícil, neste tempo, contar sobre isto a outros.Estes sentimentos de solidão estão associados ao fato de seus Guias terem partido. Eles estiveram com você em todas as suas jornadas, em todos os cursos de suas vidas. Era tempo deles se afastarem, assim você ocuparia esse espaço com sua própria divindade . Isto também passará. O vazio interior será ocupado com amor e energia de sua própria consciência Crística.

11- Perda da paixão. Você pode sentir-se totalmente desapaixonado, com pouco ou nenhum desejo de fazer qualquer coisa. Isto está certo, e isto é apenas parte do processo. Pegue este tempo para fazer nada mesmo. Não lute com você mesmo por isso, porque isto também passará. É semelhante a reprogramar um computador. Você precisa fechar por um breve período de tempo para poder carregar com o novo e sofisticado software, ou neste caso, a nova energia da semente Crística.

12- Um profundo desejo de ir para Casa. Esta talvez seja a mais difícil e desafiante de qualquer uma das condições. Você pode experimentar um profundo e irresistível desejo de voltar para Casa. Isto não é um sentimento suicida. Não é baseado numa frustração ou raiva. Você não quer fazer um grande negócio disto ou causar drama para você mesmo ou para outros. Tem uma quieta parte de você que quer ir para Casa. A raiz que origina isto é bastante simples. Você completou seus ciclos cármicos. Você completou seu contrato para esta duração de vida. Você está pronto para começar uma nova vida enquanto ainda está neste corpo físico.  Durante este processo de transição você tem lembranças interiores do que é estar do outro lado. Você está pronto para alistar-se para outra viagem de serviço aqui na Terra? Você está pronto para um contrato de desafios de mudanças em direção à Nova Energia. Sim, na verdade você pode ir para Casa agora mesmo. Mas, você veio até aqui, e depois de muitas, muitas vidas seria um pouco frustrante ir embora antes de ver o final do filme. Além disso, O Espírito precisa de você aqui para ajudar outros na transição para a nova energia. Eles precisarão de um guia humano, como você, que fez a jornada da velha energia para a nova. O caminho que você está percorrendo agora fornece as experiências que te habilita a vir a ser um Professor para o Novo Humano Divino.Tão solitária e escura que sua jornada possa ser às vezes. Lembre que você nunca está só.


Direitos de cópia 2006 de Geoffrey Hoppe, Golden,CO. Preparado em colaboração de Tobias do Círculo Carmesim. Por favor, distribua gratuitamente sem propósitos comerciais.

extraído do site: http://www.novasenergias.net/circulocarmesim/sint.htm

Luz, Câmera, Ação!

Posted in Luz Câmera Ação with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on novembro 9, 2012 by carl1ike

Qual o tipo de enredo vc está escolhendo viver? Drama, ação, romance, policial, terror, aventura, realização, sucesso, violência, tédio, desilusão, depressão, traição, problemas financeiros?

Pois saiba que você é o diretor e o roteirista do seu filme, ou seja, o filme da sua vida. Por pior que esteja a sua situação, foi vc quem escreveu este roteiro e é vc quem está dirigindo as cenas do que acontece com vc, e ao seu redor, dia após dia.

Parece esquizofrenia, mas, não é. É exatamente isto que está acontecendo. Tudo, absolutamente tudo que acontece à cada segundo da sua vida foi criado por vc, portanto, reveja em que vc está pensando, os hábitos e frequências energéticas às quais vc se sintoniza a toda hora, as negatividades, as carências e as impotencias às quais vc alimenta indefinidamente, até que elas se manifestem em sua realidade. 

Quanto mais rápido vc souber disso, mais rápido deixará de projetar seus problemas nos outros, nas situações externas, achando que tudo o que acontece com vc é obra do acaso, de forças externas e irá assumir o seu importante papel como diretor e roteirista deste filme, que pode ser o filme mais maravilhoso e inspirador da sua vida, ou ser o pior filme que vc já viveu até agora.

Você começará a aprender a focar em si mesmo e não ficar perdido nos outros, prestando atenção neles e não no que se passa dentro de vc. Toda vez que estiver observando os outros, as suas reações em relação à vc, volte o foco para dentro, para o que está sentindo aí dentro, para o que vc está percebendo dentro de vc e faça a limpeza das cenas que já não interessam mais, reescreva imediatamente o roteiro do que quer que aconteça com vc, sabendo que a sua estória pode ser mudada imediatamente, assim que vc tiver esta consciência, assim que perceber que tudo está em suas mãos, que a sua função principal é limpar, apagar, zerar as cenas que te desagradam e criar e viver as cenas que te fazem bem, que te elevam. Por enquanto, é isso…

Sem dinheiro, é possível viver? Heidemarie Schwermer mostra que é, em Entrevista Exclusiva p/o carlike.wordpress.com

Posted in Entrevista internacional with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on setembro 24, 2012 by carl1ike

Imagem

Todos sabemos que o sistema capitalista está ruindo, países em colapso financeiro, desemprego mundial, indices altíssimos de inadimplência, concorrência cada vez maior, muita gente endividada, bem, isto tudo não significa uma defesa do sistema socialista ou comunista, que também demonstraram ser um enorme fracasso.

Que tal você ser considerado pelo que você realmente é, mais do que pelo dinheiro e status que é obrigado a ostentar, para ser aceito nesta nossa sociedade materialista e consumista que vivemos. Isso lhe parece utópico? Pois, saiba que não é!

A alemã, ex-professora e psicoterapeuta, Heidemarie Schwermer, de 69 anos, vive há 16 anos sem dinheiro e este talvez seja o início de uma nova maneira de viver, baseada no altruísmo, no compartilhar e no respeito profundo pelo ser humano, pelo que ele tem de mais valioso, que é o seu próprio ser, ao invés do dinheiro ou da posição que ocupa.   Veja nesta entrevista exclusiva para o nosso blog (carlike.wordpress.com), o que Heidemarie tem à dizer:

1 – Quando a idéia de viver sem dinheiro começou?

HS – Quando eu vim para Dortmund(Alemanha) – uma cidade com um grande número de pessoas sem trabalho e dinheiro, eu comecei a pensar sobre o que fazer para ajudar. Nesta época eu era uma psicoterapeuta com minhas próprias práticas. Fundei um grupo de troca, onde as pessoas não precisavam de dinheiro para pegar as coisas que eles queriam ter. Eu, por mim, tinha notado que eu precisava cada vez menos de dinheiro e por isso decidi começar uma experiência: Eu queria viver um ano sem dinheiro. Esta experiência começou no dia 1 ª de maio de 1996 e dura até hoje, 16 anos ainda.

2 – Em sua vida diária, você realmente vive sem nenhum centavo no bolso ou no banco?

HS – No meu primeiro livro (minha vida sem dinheiro) Eu ganhei um monte de dinheiro, o qual eu dei para as pessoas que precisavam dele.

3 – Você tem uma conta bancária, cartões de crédito, cheques, etc?

HS – Sim, eu tenho um cartão onde os cheques podem entrar e eu posso dar.

4 – Você estava insatisfeita com sua vida e com o sistema capitalista?

HS – Estou muita insatisfeita com o sistema capitalista. Onde há algumas pessoas muito ricas e um monte de pessoas muito pobres, que ainda morrem de fome, eu não posso suportar mais isso.

5 – Livrar-se de tudo, até mesmo do seu apartamento, não te gerou muita insegurança?

HS – No início houve algumas inseguranças em mim. Mas eu sabia que eu poderia voltar para minha antiga vida, se não tivesse sucesso nesta nova.

6 – Onde você vive hoje, você está sempre se mudando de um lugar p/ outro, e, se este for o caso, não se cansa de fazer isso?

HS – Eu me mudo semana após semana. Nas casas diferentes há coisas diferentes para fazer. A maioria delas eu gosto muito e não me canso desta vida. Eu só fico cansada de falar sobre o que eu estou fazendo.

7 – Você acha que é possível para um pai ou uma mãe que ainda tem filhos pequenos para criar, viver assim?

HS – Acho que todo mundo poderia viver assim se ele ou ela quisessem. Mas, não é minha intenção dizer: Façam como eu! Quero mostrar que é possível viver de modo diferente do que nós estamos vivendo hoje. Eu acho que preparo algo futuro. Eu acho que nos próximos anos muita coisa vai mudar no nosso mundo por causa do dinheiro.

8 – Sabemos que o dinheiro não é nem bom nem ruim, depende de como a usamos, atualmente, no seu ponto de vista, quais são os efeitos negativos que o dinheiro pode trazer às nossas vidas?

HS – Eu nunca pensei que o dinheiro tivesse uma posição tão poderosa como ele tem hoje. Nos últimos anos eu notei uma sensação muito diferente na vida diária. Na maneira como lidar com as outras pessoas, há uma grande diferença entre fazer isso com dinheiro ou sem. Para agir com as pessoas sem dinheiro significa um profundo compromisso e posso dizer amor.

9 – Alguma vez você já passou fome, não tendo nada para comer?

HS – No início houve algumas situações ruins, mas não mais. Eu tive que superar meus medos.

10 – Já se sentiu como não ter para onde ir ou onde dormir?

HS – Não, minha rede de contatos é tão grande, que sempre há um lugar para mim em algum lugar.

11 – Esta situação de não ter dinheiro não cria muito estresse e dependência dos outros?

HS – Eu mudei a dimensão, eu acho. Tudo que eu preciso vem a mim, meus medos e todos os sentimentos de insegurança foram embora, em vez de isso, há uma grande quantidade de confiança que eu não tinha antes. Eu sinto fraternidade, amor e outros sentimentos agradáveis.

12 – Você já se sentiu com baixa auto-estima, pela falta de dinheiro?

HS – Sim, especialmente no início da minha nova vida. Mas, nos últimos anos eu estou tão certa de que todos nós temos que mudar alguma coisa e por isso estou contente com o que estou fazendo, ao invés de me sentir envergonhada.

13 – Como você lida com seus desejos de consumo, uma vez que, sem dinheiro, você não pode comprar um vestido ou um casaco que você gosta, nem comida, etc?

HS – A minha nova vida existe de uma maneira, que eu sei que tudo que eu preciso vem a mim. Eu nunca duvido, eu desejo algo sem dizê-lo, apenas pensando e não dura muito tempo e o que eu preciso vem à mim. As pessoas não entendem …

14 – Que tipo de trabalho você faz em troca de coisas que você precisa para sobreviver?

HS – Eu não troco mais nada, é mais como compartilhar o que faço hoje. No começo, eu sempre pensei sobre o que eu poderia dar de volta por todas as coisas que recebia dos outros. Hoje, às vezes eu dou muito, por exemplo, ou terapia, ou palestras ou entrevistas, duas horas por dia, eu ajudo as pessoas com consultas em e-mails e agora estou com uma amiga ajudando-a a mudar, e todas as coisas que eu faço eu nunca penso sobre, eu apenas faço, porque eu gosto muito. A diferença entre a minha vida atual e a de alguns anos é muito grande e isso depende de dinheiro.

15 – Quando você está trocando seus serviços com alguém, você pode escolher o que você vai receber deles?

HS – Eu nunca peço nada para alguém, porque o meu desejo (sem o dizer em voz alta) é o suficiente.

16 – Como você lida com situações cotidianas, tais como falar ao telefone ou celular, pegar um metrô, etc, sem ter dinheiro?

HS – Na Alemanha, quase toda família tem taxas baixas para o telefone, então eu posso usá-lo sem gastar dinheiro extra. Para o bonde ou ônibus há bilhetes que eu posso pedir aos outros sem pagar pelo meu próprio. É algo como uma partilha, não como mendigar como algumas pessoas pensam, porque os meus presentes são bons para os outros também.

17 – Se você ficar doente e precisar de medicamentos ou tiver necessidade de consultar um médico, como você lida com isso, uma vez que não está em condições de trocar seus serviços?

HS – Eu não vou à um médico há mais de 20 anos. Quando eu era mais jovem, eu era muito mais doente do que hoje. Eu acredito na auto-cura do ser humano.

18 – Você se sente dependente da caridade das pessoas?

HS – Não

19 – No seu aniversário, uma ocasião especial, quando costuma-se ganhar presentes, comemorar com um bolo, convidar amigos, etc, você precisa trocar seus serviços para obter esses itens?

HS – Eu não gosto desses itens e não preciso deles.

20 – Você tem alguma limitação para se deslocar pela cidade, para ir para outra cidade ou país, de trem, táxi, ônibus, metrô, avião, etc, como você lida com isso sem dinheiro?

HS – Eu sou convidada para palestras ou outras coisas e as pessoas me dão os bilhetes para os trens ou mesmo para o avião. Eu não quero uma tarifa especial, apenas o bilhete para ir vê-los.

21 – Minha impressão quando visitei pela primeira vez o site livingwithoutmoney, era que tudo era sobre o dinheiro, por causa do pedido de doações, etc, etc, isso é verdade?

HS – O site, que é o título do filme não tem nada a ver comigo e com o dinheiro. Eu sou apenas a protagonista, o dinheiro é para os cineastas.

22 – Você já foi considerada uma parasita social ou hipócrita?

HS – As pessoas que não conseguem entender o que eu estou fazendo pensam que eu sou uma parasita

23 – Você acha que seu exemplo pode motivar as pessoas a serem irresponsáveis e preguiçosas?

HS – Se eles não entendem a minha motivação, ele podem achar coisas falsas sobre as minhas mensagens.

24 – O que sua família pensa sobre sua decisão?

HS – No início, eles estavam cheios de tristeza, mas, agora eles gostam do que eu estou fazendo e sentem-se até um pouco orgulhosos de mim.

25 – Qual é a mensagem que você quer deixar para o público brasileiro?

HS – A mensagem é que podemos viver com confiança, com amor e boa vontade para com o outro. Não deve haver pobreza no mundo, nem fome, porque há o suficiente para todos nós. Se todo mundo pegasse apenas o que ele / ela precisa e nada mais, e começasse a compartilhar com os outros, então podemos ter um mundo maravilhoso. Se você tem mais perguntas ou não entendeu o que eu disse, pode me perguntar de novo.

Em relação a minha primeira pergunta:

1 – O grupo de troca que você fundou ainda está funcionando, qual é o nome do grupo, o link, qual foi o modelo que você usou lá, para trocar as coisas? Por exemplo, se meus sapatos estão velhos e eu preciso de outro par, eu posso ir lá e trocar meus sapatos velhos por outros sapatos, é algo assim? Este grupo de troca pode ser recriado aqui no Brasil, por exemplo?

HS – O nome deste grupo de troca é “Gib & Nimm Zentrale- Central dar e receber”. Foi há 10 anos, seis sem mim em Dortmund. Pessoas trocam seus serviços com os outros, por exemplo, se uma pessoa sabe cortar cabelos ela pode receber pão pelo serviço. Ou se alguém cozinha para outras pessoas ou sabe consertar carros ou bicicletas para os outros, pode trocar estes serviços pelo que precisa. Na Alemanha, em cada cidade existem muitas lojas, onde as pessoas podem entrar e pegar o que precisam sem ter que pagar. Cada um dá o seu know-how e recebe um outro serviço emtroca. Por que não fundar algo assim no Brasil? Muitas pessoas têm uma caixa com coisas que não precisam mais e todos os seus visitantes podem pegar alguma coisa sem pagar. Em grandes cidades como (Berlim, Viena, Munique) existem armários nas ruas, onde as pessoas dão e pegam livros de graça. É ainda um movimento, eu acho. Espero que o meu “dar e receber” se torne um movimento mundial também, porque é tão simples, e não necessita de qualquer organização…

Quanto a minha segunda pergunta:

2 – Em sua vida diária, você realmente vive sem nenhum centavo no bolso ou no banco?

HS – Os primeiros 11 anos eu não tocava em dinheiro. Agora estou um pouco mais liberal, não tão dogmática. Eu não preciso demonstrar coisa alguma, porque eu provei que desta outra forma é absolutamente possível. O núcleo do meu fazer foi alterado. Nos últimos 5 anos eu até recebo uma pensão. Mas eu a dou para as pessoas que precisam de dinheiro, porque eu não preciso disso. Eu não vou a lojas ou faço coisas que eu precise de dinheiro.

Uma vez que eu não li o seu primeiro livro, em sua vida diária, podemos supor que, às vezes, as pessoas lhe dão algum dinheiro, que você doa, ou nunca recebe dinheiro algum?

HS – Pelo meu primeiro livro, que está traduzido em várias línguas, mas, não em português, eu recebi um monte de dinheiro, que eu doei todo. Meu segundo livro, que está somente comigo, está em alemão e o terceiro livro “mundo milagroso sem dinheiro” é o seu título, ainda não tem tradução.

Na questão n º 6,

6 – Onde é que você mora hoje, que país você está agora, ou você pode estar em Hong Kong e depois ir para Holanda, em seguida, para a África, etc, é assim ou você só fica na Europa? Você disse que em casas diferentes você tem coisas diferentes para fazer, que tipo de coisas?

HS – No momento eu estou viajando apenas pela Europa: Alemanha, Áustria, Itália, Noruega, França, Suíça, Espanha, Holanda…As últimas viagens foram por causa do filme. Grupos convidam-me, me dão as passagens e tudo que eu preciso…

Na questão 7,

7 – Como é que um pai ou uma mãe podem criar seus filhos sem ter dinheiro para pagar a escola, para comprar comida, etc, acho que se alguém quer viver assim, primeiro você precisa fazer parte de um pequeno grupo de pessoas que pensam da mesma forma como você, e que troquem as coisas que você precisa trocar, está correto?

HS – Minha mensagem não é: faça o mesmo que eu. Estou mais preparando um futuro, algo novo.

Na questão 13

13 – Como você lida com seus desejos de consumo? Você respondeu que tudo que você pensa e precisa lhe vem facilmente. Uma vez que eu sou um praticante de meditação transcendental avançada, que eles chamam de siddha, eu às vezes, tenho experiências como as que você está dizendo, por exemplo, penso em alguma coisa e essa coisa acontece sem esforço. No seu caso, podemos supor que você tenha atingido um estado transcendental de conexão com a fonte, por livrar-se de tudo, que fornece tudo que você precisa, sem qualquer esforço ou dúvida?

HS – Não é tão transcendental meu estado, desde que a minha confiança na vida, Deus ou diga o que você quiser, se torna cada vez maior. Eu acho que todos nós somos criados para viver em um fluxo. A maioria das pessoas está tão ocupada em ganhar dinheiro, que não pode mais sentir a natureza. Dores e medos tornam-os escravos, em vez de ficarem mais livres.

Na questão 14

14 – Que tipo de trabalho você faz em troca de coisas que você precisa para sobrevivência?

HS – Não é uma questão de sobrevivência, mas, estou fazendo muitas coisas que eu adoro fazer no momento. Hoje estou ajudando uma amiga a mudar a sua habitação, às vezes eu sou apenas uma companhia para pessoas solitárias ou eu dou terapias ou ajudo com as crianças ou com o cão ou às vezes eu cozinho.

Você disse que a diferença entre o que fazia há alguns anos e agora é muito grande e isso depende de dinheiro, essa parte não ficou muito clara para mim, você quis dizer que depende ou não depende de dinheiro?

HS – No início das minhas atividades eu sempre pensei sobre os valores e o que eu tinha que dar em troca por este ou aquele presente. Foi difícil para mim começar somente a pegar as coisas, sem pensar nisso. Agora há uma grande mudança: Hoje eu não penso mais sobre isso, eu sinto apenas que estou em harmonia.

Você segue alguma crença espiritual?

HS – Eu acredito em um mundo em que todos têm um bom lugar. Eu acredito em um mundo onde podemos compartilhar tudo com os outros

Que tipo de comida que você come?

HS – Eu não como animais

Eu não lhe perguntei se você tem o seu próprio site, em vez de livingwithoutmoney?

HS – Meu website é: www.heidemarieschwermer.com, você pode pegar uma foto de lá. Há apenas um artigo em Inglês. Desculpe, o resto está em alemão.

Todos percebemos que o sistema capitalista está entrando em colapso rapidamente. A filosofia por trás de sua proposta é tão poderosa, uma vez que, ela é capaz de mostrar-nos que é possível mudar radicalmente a forma como as pessoas vivem hoje, como escravos robóticos, necessitando alienar seus cérebros com drogas, álcool, distrações tolas e consumismo, para não ficarem conscientes desta insanidade, comprar coisas que você realmente não precisa, ser julgado pelo carro que você tem, a marca da roupa que você usa, sempre comparando-se com os mais “bem sucedidos”, associando o seu valor como ser humano com o dinheiro, sentindo-se sempre péssimo interiormente e com uma auto estima muito baixa, e todo este blá-blá-blá que as empresas tentam nos vender o tempo todo. Neste cenário, quanto tempo ainda você acha que esse velho e doente sistema vai sobreviver, até que uma nova era e uma concepção de vida mais digna, surja,  e o que podemos fazer para acelerar este processo?

HS – Exato, tudo isso forma as minhas perguntas no começo. Minha resposta é que todos tem que fazer algum trabalho por si mesmos. Se ele ou ela não querem mudar, eles devem permanecer neste medo e todas as coisas ruins que o acompanham. Meu filosofia é esta: 1 – Cada um tem que se perguntar, por que está aqui na Terra, o que ele gosta de fazer que lhe dá alegria. Este é o caminho para o nosso interior (como a meditação ou o caminhar-se pela natureza) – de mim para mim. A cor verde na etiqueta (HS desenvolveu um sistema que utiliza etiquetas com cores). 2 – Cada um pode aprender com o outro. Se eu estou com raiva de alguém é porque essa pessoa me mostra uma coisa minha. A outra pessoa é um espelho para mim. Este é de mim para você – a cor amarela na etiqueta. 3 – Cada um tem que ser político, pensar sobre o que ele pode fazer para a sociedade. Este é de mim para nós – a cor vermelha. 4 – Viemos todos de uma só Fonte, a divina! Estamos aqui na terra para crescer em nosso espírito! Este é de mim para o todo, a cor azul, você pode ler mais sobre estas etiquetas no meu website.

Você acha que você veio de outro planeta?

HS – Eu não sei, não é meu interesse.

Existe alguma outra coisa, que eu tenha esquecido de perguntar-lhe, que você gostaria de dizer?

HS – Você perguntou bastante!

Você pode me enviar a sua foto, e algumas outras fotos, se você tiver, fazendo as coisas que você faz, para ilustrar para os leitores do meu blog, quem é você e o que você faz em sua vida diária para as pessoas? Então, vou anexá-las a este post.

HS – A fotos são um problema para mim – quer dizer, para enviá-las. Me agradaria muito se você pudesse procurar na internet. Sobre o meu nome e fotos, deve haver algo. Se há algumas outras coisas que você não entendeu, pergunte novamente. Eu não me sinto incomodada.
Tudo de bom para você, com os seus afazeres, os melhores votos, Heidemarie.

Sim, é possível!

Sim, eu posso!

Sim, nós podemos!…

Viver num mundo melhor!

Só depende de cada um de nós!

Equipe (carlike.wordpress.com)

Por que nos sentimos Menos ? O Dinheiro e a Auto-Estima / Why do we feel less ? Money and the self steem

Posted in Por que nos sentimos menos? O dinheiro e a Auto Estima with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on agosto 20, 2012 by carl1ike

Vivemos numa sociedade perversa, que nos condiciona a assumirmos valores que não tem valor e que são, na melhor das hipóteses, distorcidos. Esta perversidade se torna ainda mais perigosa, quando não questionamos suas bases e apenas nos juntamos ao mar de pessoas que seguem suas vidas miseráveis material e emocionalmente, colaborando para que esse sistema se torne cada vez mais aniquilador.

É importante percebermos que esta “sociedade” ao qual nos referimos, não é uma massa disforme, distante e inacessível, como querem nos fazer acreditar, mas, sim, formada pelos valores de nossas famílias, pelos valores de nossos parentes, amigos, inimigos, chefes, funcionários, vizinhos, pais, mães, irmãos, enfim, pessoas comuns, que conhecemos ou não, que perpetuam a insanidade socialmente aceita, até que nós também nos tornemos um transmissor fiel desta mesma deturpação, nos impondo os piores castigos, caso não a respeitemos. Conscientes disto, temos pelo menos uma chance de modificar estes padrões de valores doentios, que se auto reproduzem indefinidamente, dentro e fora de nós.

Quais são esses valores ? Bem, podemos citar como exemplo, um dos mais arraigados e fundamentais deles, que é o valor atribuído ao dinheiro. O dinheiro em si, não é nem bom nem mal, ele depende do modo como o encaramos, do modo como o tratamos, porém, o dinheiro tem servido para encobrir nossas mais profundas distorções. Quantas vezes já não nos sentimos inferiorizados, menos favorecidos que os outros, rejeitados e excluídos de um grupo, de uma situação, de nossa família por não termos dinheiro ? Por não nos encaixarmos no padrão estabelecido por essa “sociedade”, que além de criar valores doentios, ignora deliberadamente qualquer tipo de individualidade e diferença e que alimenta a comparação como condição básica para medir nosso potencial.

Neste caso, estamos diante de um valor que nos diz claramente que: se você não tem dinheiro, você não tem valor, se você não tem dinheiro, você é menos, você é inferior, você é nada, você não merece estar vivo. A perversidade deste conceito está no fato de associarmos nosso valor pessoal, nossa auto-estima como seres humanos, nossa individualidade, nosso mais profundo estado de ser, ao quanto de dinheiro conseguimos gerar, conceito este totalmente equivoco. Ainda mais perverso, que também não importa da onde tenha vindo o dinheiro, contanto que ele esteja visível em forma de carros, casas, nº de cartões de crédito, roupas, viagens, contas bancárias, etc.

Não estamos afirmando aqui que o dinheiro seja sujo ou desnecessário, mas, sim, a forma como o dinheiro tem servido de pretexto para nos infligirmos os mais absurdos comportamentos, que fomentam a exclusão, o desafeto, a falta de compaixão, a inimizade, a violência, a doença, a ganância, a corrupção, a inveja, o complexo de inferioridade, a competição, a submissão, a anulação, a infelicidade, a depressão, a ansiedade, a ódio, o medo, o aprisionamento, etc.

Felizmente nem tudo está perdido, uma vez que existem tentativas de pessoas, que por inspiração ou missão de vida, abrem uma fenda neste sistema doentio e nos mostram que outros caminhos, talvez mais inteligentes, mais saudáveis e humanos são possíveis, como é o caso da ex-professora e ex-psicoterapeuta alemã de 69 anos: Heidemarie Schwermer que afirma que: “O dinheiro nos distrai do que é mais importante

We live in a perverse society that conditions us to assume values ​​that has no value at all and that are, at best, distorted. This perversity becomes even more dangerous when we do not question its bases and only join the endless sea of ​​people following their miserable lives materially and emotionally, contributing to the system to become even more annihilator.

It is important to realize that this “society” to which we refer, is not a shapeless mass, distant and inaccessible, as would they like us to believe, but, rather formed by the values ​​of our families, the values ​​of our relatives, friends, enemies, bosses, employees, neighbors, fathers, mothers, brothers, finally, ordinary people, we know it or not, that perpetuates this socially accepted insanity, until we also become a faithful transmitter of this  misrepresentation, imposing to ourselves the worst punishments, if we do not respect it. Aware of this, at least we have a chance to modify these ​​unhealthy values patterns that reproduce themselves indefinitely, inside and outside of us.

What are these values? Well, we can cite as an example, one of the most fundamental and rooted of them, which is the value assigned to money. Money itself is neither good nor bad, it depends on how we look at it, how we treat it, but, up to now, money has served to conceal our deepest distortions. How many times haven’t we  feel inferior, less fortunate than others, rejected and excluded from a group, of  a situation in our family for not having money? Because we do not fit to what was set by this “society”, which besides creating unhealthy values, deliberately ignores any kind of individuality and difference and that feeds the comparison as a basic condition to measure our potential.

In this case, we have a value that tells us clearly that: if you have no money, you have no value, if you do not have money, you are less, you are inferior, you are a loser, you are nothing, you do not deserve to be alive. The perversity of this concept lies in the fact of associating our self-worth, our self-worth as human beings, our individuality, our deepest state of being, to how much money you have or can generate, concept that is totally mistaken. Even more perverse, the fact that, it does not matter where your money came from, as long as it is visible in the form of cars, houses, number of credit cards, clothing, travels, bank accounts, etc.

We are not saying here that money is dirty or unnecessary, but up to now,  money has served as a pretext to inflict upon ourselves and others the most absurd behaviors that foster exclusion, disaffection, lack of compassion, enmity, violence, disease, greed, corruption, jealousy, inferiority complex, competition, submission, annulment, unhappiness, depression, anxiety, anger, fear, imprisonment, etc.

Fortunately we are not completely lost, since there are people’s attempts, who for inspiration or life mission, try to open a crack in this sick system we all live and try to show us that other ways, maybe smarter, healthier and more human are possible, as is the case the former teacher and former German psychotherapist of 69 years: Heidemarie Schwermer which states that: “Money distracts us from what is most important,”.

abs, regards,

Carl

O que você precisa saber p/que a mudança total em sua vida comece hoje !

Posted in Mudança de vida with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on maio 30, 2012 by carl1ike

Muitas vezes nos encontramos vivendo problemas que não conseguimos resolver há anos, problemas que parecem fazer parte de nossa estrutura interna mais intima de tão enraizados que estão, que parecem fazer parte de nossa personalidade e que nos põem para baixo o tempo todo, nos deprimindo, nos desanimando, nos dominando e com os quais não sabemos lidar, não vendo a mínima possibilidade de serem mudados, sejam eles de caráter emocional, psicológico, de relacionamento, familiar, financeiro, de saúde, existencial ou profissional.

Me refiro aqueles problemas, atitudes, comportamentos, auto imagens, sentimentos, pensamentos, julgamentos de nós mesmos que parecem cristalizados dentro de nós, pelos quais sofremos, nos debatendo internamente sem nunca visualizarmos uma saída e que além disso, recebem o tempo todo a confirmação externa das pessoas com as quais convivemos, nos fazendo fortalecer ainda mais a sua impossibilidade de solução e aumentando infinitamente nossa baixa auto estima.

Porém, agora, você pode solucioná-los. Sim, a saída, a solução para os seus problemas existe, aliás, não apenas uma saída ou uma solução existem, mas, várias. Apenas o que você precisa saber é que:

______________________________________________________________________________________________________

” Você não pode criar nada se antes não pode concebê-lo”

e
_______________________________________________________________________________________________________
” Não há nenhum estado de ser, nenhuma experiência, nenhuma situação, conceito, sentimento ou objeto que já não exista no universo… Tudo no mundo existe em estado potencial…”.
_______________________________________________________________________________________________________
Portanto, assim que você perceber que a solução para os seus problemas mais difíceis já existe, você se concede o direito de viver esta solução, na verdade, estas várias soluções e abre espaço para que a mudança total em sua vida se inicie agora.
_______________________________________________________________________________________________________
(frases em negrito, extraídas do livro de Eva Pierrakos – O caminho da auto-transformação)