Arquivo para desprezo

O Espelho da Alma

Posted in O Espelho da Alma with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on março 28, 2012 by carl1ike

“Se olharmos cuidadosamente para dentro de nós mesmos, veremos como estamos machucados, como nossa alma está dolorida. Apontamos o dedo em riste para o nosso coração e nos criticamos, nos comparamos, nos pressionamos, nos menosprezamos, nos desrespeitamos, nos agredimos, nos exigimos, nos cobramos, mantendo-nos em estado de constante luta interior, em constante auto negação, a lançarmos as flechas da incompreensão, da rejeição, do julgamento, da antipatia e do desprezo contra a nossa sensível alma, que ferida, se isola e se retrai cada vez mais, enfraquecida pelo auto massacre, desfalecida pela falta de vitalidade.

Perdidos que estamos, num mar de referências externas e vazias, sentimo-nos cada vez mais secos, mais endurecidos, mais rígidos em nosso sofrimento e em nossa dor, achando que as distrações materiais, que o dinheiro, que o status, que as posições, que os cargos, serão capazes de comprar e de camuflar o nosso profundo pesar, o nosso profundo mal estar. Quanto mais nos afundamos em nosso desespero interior, mais nos debatemos, mais procuramos qualquer via de fuga que nos alivie, mesmo que por alguns instantes, de nossa devastação.

Olhamos para fora de nós e nos iludimos que os outros, com seus sorrisos calculados, com seus bens importados, com suas modas e grifes, com seus trejeitos de mesmice, estão a desfilar diante de nós o triunfo da felicidade tão almejada. Porém, não nos enganemos, estamos todos no mesmo barco, tentando disfarçar a nossa dor, como verdadeiros atores no teatro de marionetes da vida.

No camarim, distante da platéia e dos refletores, desabamos em nós mesmos, em nossa escuridão e o que encontramos são apenas cinzas espalhadas pelo chão, são pedaços de memórias e sonhos frustrados, são desejos e sentimentos afogados, a boiar em nosso oceano de dor. Ao lançarmos nosso olhar pela fresta da porta, notamos que existe um pequeno feixe de luz, que se amplifica a medida que nos aproximamos.

Confusos, sem nunca termos visto algo semelhante, somos atraídos pela luminosidade, que nos revela lentamente, algo que havíamos abafado durante toda a nossa existência. Cada vez mais curiosos e ansiosos para vermos o que está por detrás daquela porta, percebemos que em nosso bolso, encontra-se a chave para poder adentrá-la. Trêmulos, ofegantes, conseguimos girar a maçaneta e de súbito, do outro lado, vemos um enorme clarão, que a princípio nos cega, mas, que gradualmente vai-nos revelando uma sala de espelhos vazia, que agora se preenche com a nossa verdadeira imagem, com o nosso verdadeiro sentimento, que nos abraça a alma e que pela primeira vez, nos faz perceber um lampejo de vida cintilar em nosso coração, ao nos olharmos diretamente em nossos olhos, através da imagem refletida de nós mesmos, que se revela limpida, iluminada, amorosa e sábia, nos estendendo a mão em toda a sua compaixão e plenitude.

Ao tocarmos esta imagem, nos fundimos ao espelho e passamos para o outro lado, que à principio nos confunde, pela intesidade de amor, com o qual não estamos acostumados a nos deixar envolver. Olhamos de volta para o espelho que acabamos de cruzar e sentimos no âmago de nosso ser, que aquela vida, até então vivida, não era realmente a vida, mas, apenas um fragmento, um esboço de algo muito aquém de toda a sua grandeza e bondade…”

Anúncios

Curando as feridas do passado – livro: “Não temas o mal”

Posted in Curando as feridas do passado with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on julho 29, 2011 by carl1ike

Quantas vezes vc já se peguntou “por que isso está acontecendo comigo outra vez” ? Sem encontrarmos a resposta, continuamos emaranhados numa infinidade de situações que nos fazem sofrer, sermos rejeitados, desvalorizados, abandonados, maltratados, desprezados, sugados, oprimidos,  incompreendidos, numa desesperada busca por apoio e conforto interior. Onde estará a saída para nos livrarmos de todo esse sofrimento ?

Enquanto não encararmos as feridas da infância, entrando em contato com nossa dor mais profunda, com nossos sentimentos que foram soterrados em nosso inconsciente para que pudessemos continuar vivos, estaremos longe de nos sentirmos inteiros, nos sentirmos plenos e serenos, de usufrirmos o enorme manancial de energia a nossa disposição, porém, inacessível devido aos nossos bloqueios, ilusões, fugas e distorções. 

Nos auxiliando neste importante caminho de volta, o livro: “Não temas o mal” de Eva Pierrakos e Donovan Thesenga, é uma profunda e valiosíssima ferramenta que nos conduz com carinho e segurança, ao reencontro c/o nosso verdadeiro eu, aquele desprovido de ilusões, de falsas aparências, de exigências doentias, inseguranças, máscaras e compulsões. 

Inspirado pelos mestres do auto conhecimento humano, do universo, a sua leitura nos revela que podemos sim, alterar de forma definitiva e natural, a crença enraizada em todo o ser humano, que não somos merecedores de uma vida plena, prospera, feliz e saudável. Sem mágicas nem truques, o livro nos guia através de uma gradual, porém, poderosíssima viagem profunda ao nosso eu interior, de auto transformação, de passagem ao um novo patamar de existência, nunca antes imaginado por nós.     

Se vc estiver preparado para dar este passo na transformação do seu eu inferior, e começar a usufruir os poderes naturais há muito adormecidos em seu interior, que são seus por direito, vale a pena começar a ler este livro.

Onde está a chave da felicidade e da capacidade de viver nossos sonhos ?

Posted in * "O Efeito Sombra" um dos melhores livros sobre auto-conhecimento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on fevereiro 13, 2011 by carl1ike

A resposta é: em nosso eu mais sombrio, em nosso lado mais obscuro, encontra-se escondido nosso poder esquecido, encontra-se a chave capaz de destravar totalmente a nossa vida. Pode parecer um roteiro do filme do Harry Potter, mas, é exatamente isto que precisamos compreender. Não há ninguém que não considere sua sombra, seu lado mais negro, como algo a ser temido, ou, encoberto de todas as maneiras possíveis. Um pequeno exemplo: qdo alguém nos incomoda muito, seja por sua arrogância, seja por seu orgulho, tendemos a julgar e classificar esta pessoa de maneira negativa, colocando nela toda a responsabilidade por nos causar tamanha aversão. Este é exatamente o mecânismo da sombra em ação, ou seja, ao observamos mais atentamente o que está ocorrendo, por acharmos difícil olharmos para nós mesmos e reconhecermos a nossa própria arrogância e orgulho, atribuímos o que julgamos ser negativo como sendo do outro e não um aspecto nosso, que tentamos de todas as formas esconder, projetando-o para fora de nós. Porém, qto mais nos afastamos de nos vermos realmente, sem julgamentos de bem ou mal, certo ou errado, mais longe ficamos de nossa verdadeira realização. O livro: “O Efeito Sombra”, de Deepak Chopra, Debbie Ford e Marianne Williamson, parece ter sido obra encomendada pelos deuses do auto-conhecimento, pois, nos oferece de maneira simples e profunda, uma compreensão desse nosso lado mais sombrio, um deixar-se a auto-crítica e julgamentos de lado e realmente acolhermos o que sempre tentamos esconder de nós mesmos e dos outros, como sendo algo vergonhoso, desprezível. Um livro que pode ser considerado como um verdadeiro guia para a reconstrução de nossa alma, de nossa integridade e consequentemente, de nossa felicidade.